Tag EENe

 

Escalada é esporte de homem! Quantas vezes já ouvimos isso?
Pra escalar tem que ter força??? Nem sempre, mas o equilíbrio feminino, esse sim nós temos de sobra!

Aqui no Nordeste, o número de mulheres que vem se envolvendo no esporte está em ascensão.

Foi através de outros EENEs que resolvemos assumir o papel de organizadoras do evento e inovar trazendo como diferencial a inclusão da comunidade local no processo de desenvolvimento do 1º Pólo de Escalada de Pernambuco.

Todas as edições dos encontros foram voltadas basicamente ao público escalador, com isso, a comunidade não tinha acesso ao esporte, e, conseqüentemente por não conhecerem não se interessavam com o montanhismo e não apoiavam o acesso as pedras por seus terrenos. E só mesmo uma mente feminina para se dar conta disso!!!
Mirthis Novaes, Patricia Manzi, Carla Souza e Claudia Vicência foram responsáveis pela elaboração do projeto, captação de verba através de órgãos públicos e privados, elaboração de atividades envolvendo a comunidade local antes do EENE visando à conscientização ambiental e o conhecimento do esporte. E nós não só fizemos a parte burocrática, mas também, arregaçamos as mangas, levamos a furadeira nas costas e sapatas nos pés e fomos “a conquista”, com a participação em algumas das vias do pólo e a abertura da primeira via longa (120m) conquistada só por mulheres a The´s Northedas, pois é a primeira, pois virão outras, nos aguarde…

Cerca de quarenta e duas mulheres efetuaram a inscrição para o EENE, além das dez que trabalhavam durante o evento de forma direta e indireta.

A presença feminina tomou conta das pedras de Brejo, até a escassez de chuva deu lugar a uma linda paisagem graças às chuvas que caíram semanas antes para embelezar nosso caminho. As mulheres chegaram de vários estados do Brasil: RJ, SP, MA, GO, MG, BA , RN, PB, CE e RS, fazendo bonito sempre e valorizando ainda mais o cenário de Brejo da Madre Deus.

 

 


Um pouco sobre o EENE

O Projeto IX Encontro de Escaladores do Nordeste teve como objetivos específicos:
• Atrair um público aproximado de 200 escaladores do NE e outras regiões;
• Atrair cerca de 200 (duzentas) pessoas interessadas em esportes de aventura e atividades ao ar livre;
• Divulgar o potencial da região como pólo de escalada no Nordeste, e no Brasil;
• Incentivar a escalada como atividade desportiva no circuito turístico do interior de Pernambuco;
• Consolidar e desenvolver a modalidade de escalada em rocha na região Nordeste;
• Incentivar o Ecoturismo, sustentabilidade e atividades de mínimo impacto.

 

Descrição

Problema: O Encontro de Escaladores do Nordeste visa desenvolver a prática do montanhismo e da escalada em rocha em diversas regiões. A nona edição realizada em Pernambuco, sediada em Brejo da Madre de Deus, contemplou a realidade sócio-econômica da cidade para estimular a atividade e o comércio local através do evento.

Resultados: Os resultados alcançados superaram as expectativas do projeto, tanto a nível local quanto a nível nacional. Houve uma divulgação durante 2 anos, onde foi responsável por atrair um público de 200 escaladores inscritos, dos quais 20% não residiam no Nordeste. Além disso, houve uma expressiva participação da comunidade local durante o evento, através de diversas atividades promovidas:
• Palestras;
• Mini Cursos;
• Exposição de Fotos;
• Atividades Lúdicas: Muro de Escalada Indoor, Tecido Aéreo e Slack Line;
• Trilhas e
• Exposição de Vídeos.

Vale ressaltar que a participação da comunidade foi essencial para compreensão sobre o mínimo impacto ambiental, sustentabilidade de atividades ao ar livre, empreendimentos ligados ao ecoturismo e apropriação sobre a prática de montanhismo e escalada. Sendo esses elementos fatores fundamentais para o sucesso do evento e consolidação do esporte na região.

O projeto do Encontro deixou como herança o primeiro Pólo de Escalada de Pernambuco, com a criação de mais de 100 vias de escalada conquistadas ao longo dos 2 anos de execução do projeto e a criação da croquiteca. Através do evento, o Pólo, foi amplamente divulgado proporcionando uma visitação constante e permanente em Brejo da Madre de Deus.

 

 

O processo de implementação do projeto foi executado no período de 02(dois) anos (2009 à novembro/2010) realizado por três momentos específicos e complementares:
• a Mobilização Política e Institucional;
• a Mobilização Social;
• a Integração Social.

As três etapas envolveram o esforço organizado para alcançar o objetivo do projeto e apresentaram caráter participativo e processual, por compreender que são necessários momentos distintos para que sejam observados os impactos do projeto, efetuados os ajustes pertinentes e desta forma o projeto obteve resultados eficazes.
O caminho participativo se desenvolveu em três grandes etapas que compôs o escopo metodológico do projeto:

 

1ª Etapa: Mobilização Política e Institucional
A primeira etapa foi desenvolvida a partir de Janeiro de 2009. Essa fase objetivou sensibilizar os gestores públicos e de instituições não-governamentais através de reuniões que foram articuladas com o propósito de apresentar o projeto, o potencial da prática da escalada em Brejo, a importância dessa prática como diferencial para incentivar o desenvolvimento da região, propor parcerias com essas instituições durante a execução das outras etapas.

Nessa etapa, foram realizados convênios e parcerias com as instituições mobilizadas para garantir a viabilidade política da proposta e construir o diálogo necessário para criar condições de sustentabilidade social, no tocante à continuidade da prática e ampliação do olhar político acerca das perspectivas de desenvolvimento da região a partir do montanhismo e da escalada;

Nessa etapa foram firmados alguns convênios com gestores de instituições tais como Prefeitura Municipal de Brejo da Madre de Deus e a Secretaria Especial de Esportes do Estado, além de parcerias com diversas instituições como: 42º Grupo de Escoteiros Pedro Guenes, Grupo de Escoteiros Águia Dourada, Associação Menonita de Assistência Social (AMAS), ESPN Brasil, Academia Companhia de Atletas, Equinox, QOS Tecnologia,Desafio Vertical, Grupo Selva e Slack Brasil. Além da participação de 10 cotas de apoios provenientes do comércio local. Os 2 (dois) convênios foram capazes de permitir a execução das atividades, como a divulgação, os espaços físicos, os recursos humanos e materiais, para devido funcionamento das palestras, oficinas, exibição de vídeos e divulgação dentro da cidade.

 

2ª Etapa: Mobilização Social
Essa etapa, teve duração de 1 (ano) (Nov/09 à Novembro/ 2010), obteve a sensibilização da comunidade local sobre a prática da escalada através de atividades informativas para públicos diferenciados, como jovens, donos de terrenos e comerciantes. Aqui, o propósito foi de apresentar a atividade, a realização do EENE e as oportunidades que a partir dela podem ser vislumbradas.

Para consecução dessa etapa foi necessário o mapeamento de proprietários dos terrenos para convidá-los a participar de 02 (duas) reuniões que permitiram a sensibilização e autorizações para entrada de escaladores nos setores; realização de 02 (duas) palestras nas principais escolas estaduais e municipais de Brejo , onde foi apresentada aos jovens a prática da escalada na região; 02 (duas) oficinas sobre escalada voltadas à 40 integrantes do grupo de escoteiro de Brejo, visando o aprendizado de técnicas básicas de escalada e informações sobre os setores de escalada em Brejo , onde houve a colaboração dos mesmos durante a organização do evento; 01 (uma) oficina voltada à empresários locais para apresentá-los a escalada, o perfil e a estimativa de escaladores, as demandas desse perfil de visitante que freqüenta Brejo, no sentido de torná-los preparados para o recebimento desse público.

 

3ª Etapa: Integração Social
Colocada em prática durante a realização do 9º Encontro de Escaladores do Nordeste, que aconteceu durante os dias 12 e 15 de novembro, essa etapa foi realizada em 02(dois) meses, entre outubro e novembro. Caracterizou-se como a execução vislumbra estreitar ainda mais a relação entre a prática da escalada e a comunidade local de forma vivencial. Foram incluídas atividades na programação do EENE para que a população integre-se ao universo da escalada e de forma significativa se sensibilizem e se apropriem das informações.

A realização dessa etapa propôs inicialmente a divulgação do evento dentro da cidade através de carros de som, cartazes em pontos comerciais e instituições educacionais convidando e informando os moradores de Brejo sobre a programação e local de inscrição.

 

 

No período de inscrição, foram distribuídos folders informativos sobre o evento, as atividades da programação, os setores de escalada em Brejo, sobre o mapa da região, contatos de guias turísticos e estabelecimentos comerciais, para que tenham informações da infra-estrutura da cidade e poderem participar das atividades.
Durante o evento, as atividades aconteceram em locais diferentes da cidade, para que essa descentralização permitisse maior organização e visibilidade das ações. Esses locais foram intitulados de pólos que tiveram os seguintes nomes: Brejo Acolhe (recepção, inscrição e oficina); Brejo Dialoga (Exposição de fotos, filmes e palestras); Brejo Interage (muro de escalada indoor, slack lines e tecido); Brejo Escala (setores de escalada e oficinas).
A Escola Estadual André Cordeiro abrigou o Pólo Brejo Acolhe, que teve 1 recepcionista no horário das 08h00 às 18h00 para promover inscrições, dar informações e distribuir folders.

 

 

O Pólo Brejo Dialoga localizado no Auditório da Prefeitura de Brejo da Madre de Deus, foi responsável pelas 02 (duas) palestras sobre assuntos ligados à escalada, uma no dia 13 e outra no dia 14 de novembro, ambas no horário das 19h30; e exibição de 10 filmes de curta-metragem sobre montanhismo após as mesmas.
Na praça principal da cidade tivemos o Pólo Brejo Interage, onde foram instalados muro de escalada indoor, slack lines e tecido com instrutores capacitados que deram suporte e segurança às crianças e jovens no horário das 16h às 19h.

Durante todo o dia, o Pólo Brejo Escala abrigou todos os setores de escaladas onde a comunidade teve a oportunidade de apreciar de perto os praticantes nas rochas escalando as vias de Brejo. Neste Pólo apresentamos 01(uma) oficina sobre Escalada e Mínimo Impacto, realizada dia 13 de novembro das 14h às 17h no Setor da Furna. Todas as oficinas e palestras foram ministradas por especialistas de cada área correspondente aos temas propostos e tendo à disposição recursos audiovisuais, como computador, data show, telão e som para facilitar na didática.

 

Vejam abaixo algumas imagens. Clique para ampliar.

 

<< Voltar para “Nós”

Read More