A Pedra da Gávea

Pedra da Gávea, pensas, pensas muito
Por isso a tua tez inchada
A fronte séria de teu plasma
Os olhos rotos recuados
Parece-me:
Guardas no fundo
A história do mundo
E suas camadas

Estás cismada
Vestes uma esfinge
Hábito sem brechas
Cerrado de inverno
O manuscrito eterno
Em teu semblante
É o sal dos navegantes
Nas muradas.

 

Por Denise Emmer

Conheça o Blog {+}

Posted in:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *