Carin Marchiorato


Boulder do Visu – Igatú/BA – Foto: Rogeba

 

Idade: 30 anos
Cidade: Piraquara
Profissão: Geógrafa

 

Ela nasceu em Piraquara e começou a escalar  no morro do Anhangava. Boulderista apaixonada, essa geógrafa vem mostrando talento ao conquistar lugar de destaque na escalada feminina brasileira. Força de vontade não lhe falta: recuperar-se de uma lesão, engravidar e voltar à pedra, sua maior motivação, são planos para 2013. No mais, ela gosta mesmo é de desafios “levar o meu corpo ao extremo, buscando sempre o limite”. Conheçam um pouco sobre Carin Marchiorato, nosso primeiro V10 feminino! Um exemplo de força e dedicação pelo esporte. Kmon Carin!!

 

Li em uma entrevista que seu primeiro contato com a escalada foi há 7 anos. Conte um pouco mais sobre o começo de tudo…você sempre escalou boulder?

Sim, escalo há 7 anos e comecei com amigos, aqui mesmo perto de onde moro, no Morro do Anhangava. Meu início na escalada foi junto com a febre do boulder, que nessa época estava em franca ascensão no país e no Paraná, então acabei me encantando por esta modalidade.

 

Qual a primeira via que você encadenou? 

Foi a via “P1” acredito que todo mundo que frequenta o morro já escalou, uma via bem fácil e com um visual lindo, muito clássica do Anhangava aqui no Paraná, e muito gostosa de fazer. Recomendadíssima para quem está começando a escalar.

 

Como vem sendo sua trajetória nas competições de escalada?

Ano passado acabei participando muito pouco de competições, por falta de tempo mesmo. Trabalhava em período integral e estudava a noite, então ficava difícil. Para as competições o foco tem que ser diferente, assim como os treinos também devem ser de acordo com os objetivos. Por isso precisamos de mais tempo para se preparar e treinar, o nível das escaladoras no Brasil cresceu bastante e para colher bons resultados torna-se imprescindível estar bem preparado. Participei apenas do Festival de Escalada da Pedra Branca e Festival de Escalada de Laguna, ambos em Santa Catarina, que ficam mais próximo de onde moro. Nos dois festivais consegui conquistar o primeiro lugar e isso me foi muito gratificante.

 

Boulder em Laguna/SC – Regletera Ideal V5 – Foto: Israel Menegon

 

Fale um pouco sobre a questão do patrocínio. É difícil ser uma escaladora profissional?

Eu não sou uma escaladora profissional, na verdade o atleta profissional como já diz o termo, é aquele que tem o esporte como profissão, que tira seu sustento da prática do esporte, assim como jogadores de futebol ou de vôlei por exemplo. Eu gosto é de escalar, levar o meu corpo ao extremo, buscando sempre o limite. O desafio do boulder para mim é encantador. Viver da escalada hoje no Brasil é muito difícil e complicado, são poucos os escaladores quem tem esse privilégio, mas eu conto com o apoio de algumas marcas que acreditam no esporte e me ajudam esporadicamente. Caverana Ginásio de Escalada, Alto Estilo, Território Moutain Shop e Conquista Montanhismo .

 

Qual a sua opinião sobre a evolução da escalada em bolulder no Brasil?

Tenho observado que o boulder tem evoluído muito nestes últimos 5 anos, hoje em praticamente qualquer lugar do Brasil tem alguém fazendo boulder, seja em ginásios indoor ou em rocha. Com frequência vemos post’s na internet de novos setores sendo abertos, projetos sendo encadenados, vídeos sendo lançados, blocos que antes passavam despercebidos estão com novas linhas e também uma galera muito motivada.

Eu defendo esta categoria, acho que ela é a porta de entrada para escalada esportiva e tradicional, por ser de fácil acesso e com um custo muito abaixo do que as outras modalidades do montanhismo, basta um par de sapatilha, um carbonato de magnésio, um crash-pad e pronto, a diversão está garantida. No último ano pudemos acompanhar o Circuito Brasileiro de Boulder, que contou com três etapas em diferentes estados e com diversos competidores de alto nível, além de uma organização impecável. Tudo isso contribui e mostra o potencial que o boulder proporciona para a escalada como um todo. Uma categoria que não tem idade, no mesmo setor podemos encontrar crianças, jovens e adultos tentando o mesmo boulder ou o mesmo lance.

 

Boulder Mulher Maravilha – V4 Florianopolis – Foto: Israel Menegon
Morro do Anhangava/PR – Foto: Carin Marchiorato
Gruta da Terceira Légua – Caxias do Sul – Foto: Israel Menegon

 

Você acabou de mandar o primeiro V10 feminino (Melhor deixe, com certeza / Morro do Anhangava em Quatro Barras – PR). Como foi essa conquista?

Foi realmente algo incrível, acho que é o sonho de todo o escalador esportivo mandar um 10º grau ou um V10 (risos). Eu realmente não esperava realizar a cadena naquele dia, eu procurava algo novo, para motivar a minha escalada, então resolvi tentar algo que estava além do que já havia feito, e descobri que tudo que queremos podemos, e que o grau não é o limite.

 

Um V10 não é brincadeira! Existe algum treinamento? Regularidade na pedra? Alimentação? Conta pra gente!

Então, como já havia comentado anteriormente não tenho muito tempo disponível, então acabo não seguindo uma rotina de treino adequada. O que eventualmente faço são alguns exercícios no fingerboard que tenho em casa, e quando consigo uma folga da faculdade vou na CAVERNA Ginásio de escalada (a qual tenho o apoio) fazer boulders com os amigos. Escalo muito mais na rocha do que indoor, acho muito importante quando se tem um projeto de escalada que não seja competição. E quanto à alimentação, eu tenho uma vantagem já sou magra por natureza então como de tudo e tento não comer muitas frituras, (risos).

 

Qual o lugar onde você mais gostou de escalar?

Primeiro meu campo escola Anhangava PR, gostaria de convidar a todas as meninas para vir escalar aqui, vocês vão adorar é uma montanha incrível e a escalada é muito especial e bem técnica. Outro lugar que sou apaixonada e que preciso muito voltar é IGATÚ na BA, esse lugar é simplesmente incrível. Também não posso deixar de falar de São bento do Sapucaí – SP e Cocalzinho – GO, que também são lugares de excelente qualidade.

Boulder Melhor Deixe com Certeza – V10 – Anhangava – Foto: Carina Marchiorato

 

Algum projeto pra 2013? 

Pretendo continuar com um projeto que tenho, onde incentivo algumas mulheres a manter o foco nos treinos e na escalada, acredito que é uma maneira de poder passar um pouco da minha experiência como escaladora, e ajudar na evolução delas. Mando alguns treinos por e-mail e assim vamos adequando conforme a individualidade de cada uma, ao mesmo tempo que passo a minha visão de como se deve treinar e ficar forte. Alguma mulher que tenha interesse é só entrar em contato comigo.

Em relação à projetos na rocha, bem… esses que tinha em mente terão que esperar um pouco mais que o previsto, este ano dou um até logo para escalada, pois tive um pequeno incidente em abril de 2012 que acabou com uma hérnia de disco na coluna cervical, onde só descobri no final do ano devido à fortes dores que sentia. Já estou nas sessões de fisioterapia que estão me ajudando muito a não sentir mais dores, provavelmente eu faça uma cirurgia. Depois quero ver se consigo engravidar (talvez meu maior projeto do ano), ter meu bebê e logo retornar para a escalada com muito mais pressão e determinação.

 

Uma inspiração…

Hummm são tantas… Quando comecei a escalar fiquei encantada ao ver um vídeo da escaladora estadunidense Lisa Hands praticando bouldering, pensei comigo: “Nossa que mulher forte, como ela consegue fazer aquilo?”. Não posso deixar de citar a Roberta Nunes, nossa querida Robertinha, muitas conquistas inéditas, escaladora de parede forte e orgulho do montanhismo paranaense. Tem também a Francine Borges, pra mim uma das melhores escaladoras esportivas e mostrando que altura não importa se você escala com o coração, e claro que não poderia deixar de citar a grande atleta e mãe Janine Cardoso, que tantas vezes representou a escalada feminina brasileira em competições nacionais e internacionais.

 

Deixe um recadinho pras mulheres da montanha!
Quando estamos em contato com a escalada, descobrimos um sentimento diferente em relação à maneira como encaramos a vida, o que ela nos ensina e a maneira como ela nos ensina. Realizamos o que há de melhor em nosso coração, com muita entrega, algo que não se explica com palavras, apenas vivemos intensamente aquele momento. Depositamos nossos melhores sentimentos com muito amor em meio ao desafio, nos conectamos com nosso interior e descobrimos muitas emoções que estavam escondidas, descobrimos que somos capazes de muito mais, basta acreditar. Acredite em você, no seu corpo, na sua mente… você pode sempre mais.

Quero agradecer pelo convite e pela oportunidade de poder compartilhar um pouco de mim e da minha história como escaladora aqui no site “Mulheres da montanha”, e também parabenizar pelo excelente trabalho que vem realizando em prol da evolução da escalada, com muito conteúdo interessante, dicas e entrevistas.
Gostaria também de aproveitar a oportunidade para agradecer ao apoio das empresas Território Moutain Shop, Caverna Ginásio de Escalada,  Alto Estilo e Conquista.

 

Entrevista concedida ao Site Mulheres na Montanha

Feita por Vanessa Machado, em fevereiro de 2013

 

Assistam abaixo alguns vídeos!

 

 

 

Posted in:

12 Comments

  1. Muito bom , não conhecia a Carin e adorei tudo , a forma de pensar , as dicas , e vou ficar torcendo pra que seus sonhos sempre se realizem e que ainda tenha muitas e muitas alegrias nas escaladas !!! Muito obrigada por partilhar com a gente a sua história !!! beijao

  2. força , garra e determinismo essa grande mulher tem de sobra e com certeza iremos nos impressionar ainda mais com ela ….bjão

  3. A Carin é uma pessoa maravilhosa, apesar de dar duro no trabalho e ainda estudar à noite, sempre arruma disposição e tempo para a escalada. Uma pessoa que vale muito a pena conhecer, sempre disposta a dar dicas e incentivar com muito carinho a mulherada, almejando sempre disseminação e a ascensão feminina neste esporte.

  4. Entrevista linda!!!
    desejo te conhecer… 🙂
    que a escalada te proporcione várias conquistas, aprendizados e muita alegria na sua vida!!!!!!
    grande abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *