Festival de filmes de Montanha início em 18/10 no Rio!

A cidade maravilhosa recebe o Rio Mountain Festival 2013 nos dias 18 e 19 de outubro. O festival internacional de filmes de montanha reúne esporte, cultura e meio ambiente em produções espetaculares com aventura, adrenalina e superação na natureza. A programação esse ano é no Cinema Odeon Petrobras e no Centro Cultural da Justiça Federal [CCJF], no Centro do Rio. E a novidade é a mostra Natura Doc, com mais filmes ambientais, etnográficos e culturais relacionados a montanhas.

O Rio Mountain Festival começa às 18h da sexta 18/10 com a abertura da exposição fotográfica Vulcões do Deserto, de André Dib, no Odeon, e com a primeira sessão da Natura Doc no CCJF. A Mostra Competitiva tem sessões às 19h e 21h no Odeon, com filmes brasileiros e estrangeiros concorrendo ao troféu Corcovado, nas categorias Melhor Filme, Melhor Filme Brasileiro, Melhor Filme de Montanhismo e Escalada, Melhor Curta e Melhor Fotografia. E às 20h, no CCJF, tem a segunda sessão do Natura Doc.

No sábado 19/10, a Mostra Banff tem sessões às 19h e às 21h no Odeon, com uma seleção dos filmes estrangeiros premiados no tradicional Banff Mountain Film Festival. E no CCJF, às 18h e 20h, mais duas sessões do Natura Doc.

O Rio Mountain Festival também apresenta a 3ª edição do Concurso Fotográfico Montanhas do Mundo, que tem a montanha e/ou os esportes praticados na montanha como personagem central. Os jurados vão escolher dois fotógrafos para o público decidir quem vence. O ganhador faz a exposição na edição de 2014 do festival.

Programação completa e sinopse dos filmes podem ser acessadas no site do Rio Mountain Festival www.riomountainfestival.com.br, Facebook www.facebook.com/riomountainfestival e Twitter www.twittercom/riomountainfest

 

 

Rio Mountain Festival 2013

Cinema Odeon Petrobras – Praça Floriano, 7 – Cinelândia – Centro
Ingressos Odeon – R$ 24,00 [inteira] e R$ 12,00 [meia]
Passaporte com ingressos para as 4 sessões do Odeon – R$ 60,00

 
Centro Cultural Justiça Federal [CCJF] – Av. Rio Branco, 241 – Centro
Ingressos CCJF – R$ 10,00 [inteira] e R$ 5,00 [meia]

 

18 de outubro
– Mostra Competitiva com filmes nacionais e estrangeiros – no Odeon – Sessões às 19h e 21h
– Natura Doc com filmes nacionais e estrangeiros – No CCJF – Sessões às 18h e 20h
– Exposição Fotográfica Vulcões do Deserto, de André Dib – no Odeon a partir das 18h

 Mostra Competitiva – Cinema Odeon Petrobras – 18/10 – Sessões às 19h e 21h
10 filmes brasileiros e dois estrangeiros concorrem ao troféu “Corcovado” nas categorias Melhor Filme (Prêmio Cidade do Rio), Melhor Filme Brasileiro (Prêmio Terra Brasilis), Melhor Curta-metragem, Melhor Filme de Montanhismo e Escalada e Melhor Fotografia. Os vencedores são escolhidos por júri oficial e júri popular.

 

19 de outubro
– Mostra Banff com filmes estrangeiros premiados – no Odeon – Sessões às 19h e 21h
– Natura Doc com filmes nacionais e estrangeiros – No CCJF – Sessões às 18h e 20h
– Exposição Fotográfica Vulcões do Deserto – no Odeon

 

Mostra Banff – Cinema Odeon Petrobras – 19/10 – Sessões às 19h e 21h
Filmes estrangeiros do tradicional Banff Mountain Film Festival. Estão na seleção as melhores produções que participaram do Festival Banff ano passado, vencedoras de prêmios no festival e em outros festivais internacionais. A Mostra Banff faz parte da World Tour do Banff Mountain Film Festival.

 

Natura Doc – Centro Cultural da Justiça Federal [CCJF] – 18/10 e 19/10 – Sessões às 18h e 20h
Filmes brasileiros e estrangeiros ligados a cultura das montanhas, meio ambiente e vida ao ar livre. Saindo um pouco da ação, focando a montanha e a natureza em primeiro plano.

 

Exposição fotográfica Vulcões do Deserto – no Cinema Odeon Petrobras – 18/10 e 19/10

Fotógrafo desde 2002, André Dib se especializou em fotografia outdoor e vem compondo matérias para as principais revistas de Natureza, Esporte e Turismo do país. André participou de diversas expedições pela América do Sul, destacando a escalada do vulcão Cotopaxi, no Equador, Ascenção ao cume Aconcágua, a escalada do maior vulcão do mundo, o Ojos del Salado, no Chile, e as escaladas do Illimani, Sajama e Parinacota, em 2013, as maiores montanhas da Bolívia. Entre outras expedições de alta montanha e travessias pela Venezuela, Equador, Argentina, Chile, Peru, Bolívia, Uruguay e Brasil.

A força das imagens produzidas “in loco” e o desafio de buscar inspiração em lugares isolados e de difícil acesso, tornaram-se a marca da trajetória do fotógrafo. Seja a seis mil metros de altitude nos escarpados picos andinos ou na umidade verde da Amazônia. Nas areias de praias remotas ou na solidão de chapadas vistosas, a lente de Dib sempre consegue enquadrar algo mais: mais vivo, mais atrevido, mais inédito, mais belo, mais significativo.