Fernanda Rocha


Foto: Marcelo André

 

Fernanda Rocha, 27 anos e 6 anos de escalada.
Escaladora muito talentosa, cheia de energia e atitude.

Além dos grandes feitos nas montanhas, através do esporte e de trabalhos e luta pela conservação, Fernanda ainda encontrou tempo pra lançar o 1º calendário com fotos (lindíssimas!) só de escaladoras na Serra do Cipó.

Vamos conhecer um pouco desta grande mulher?
Aí vai uma entrevista que fiz com ela.


Foto: Eliseu Frechou

 

Oi Fernanda, tá morando aonde?
Atualmente estou morando em Lagoa Santa, de volta!

Começou a escalar qdo?
A escalada entrou na minha vida aos 21 anos.

Como foi?
Bom, na época eu pedalava e simplesmente via as pedras e os maciços, e aquilo já manifestava em mim grande fascinio, também praticava espeleologia e ali mesmo começou o amor por escalar, porque as cavernas oferecem muitos obstáculos e alguns deles vc só supera escalando,rs, finalmente comecei escalar montanhas…

Vc não faz só esportiva, né? Conta pra gente o que vc tem feito?
A partir do momento que escalei, me apaixonei por tudo,parede, esportiva, agarras pequenas, grandes, boulder, mas as paredes exigem muito do espírito e aí vc estabelece um compromisso muito árduo, acho que essa seria a melhor palavra, mas como em um exercicio espiritual, a recompensa supera qualquer dificuldade.

E fora da escalada?
Por incrível que pareça estou no momento político da minha vida, e como sempre, apaixonada; mas foi uma necessidade, o crescimento desordenado chegou para nós aqui do interior, terra de Peter Lund e Luzia(fóssil datado como o mais antigo das américas, trazendo discussão sobre a teoria de ocupação, diferente do que se acreditava, que o homem teria vindo da Asia, luzia traz traços negróides) e antes de desvendar esse elo e importante mistério, tudo está ameaçado pelo plano de governo do estado, que está atraindo o crescimento pois será o aeroporto de confins, do lado de Lagoa Santa; o maior aeroporto do país, o governo deveria ter preparado toda a APA Carste de Lagoa Santa, para esse “progresso”, mas é uma longa e chata estória…

Como são os seus treinos? Tem alguma rotina específica?
Estou sempre escalando ou conquistando profissionalmente, então não tenho uma rotina de treinamento.

Vc tb tá trabalhando com escalada, como tá sendo essa experiência e há quanto tempo está envolvida profissionalmente?
Trabalhar com escalada no Brasil é também um trabalho árduo, se tiver que sustentar família aí fica ainda mais complicado, eu costumo comparar com alguém que resolveu virar budista, ou viver uma vida simples em contato direto com a natureza, porque dinheiro é a única coisa que não dá, rs.
 Mas há momentos em que a vida que vc quer viver é aquela, pois aquele é o momento. Comecei a trabalhar com escalada assim que comecei a escalar, há seis anos, auxiliando cursos, em abertura de campo escola, etc, projetos sustentáveis em parcerias com universidades;unindo comunidade, esporte e preservação ambiental.

Tá com patrocínio?
Patrocínio em escalada no Brasil é um assunto tão peculiar…, ainda vamos ver isso no futuro, pessoas que poderão viver disso de uma forma mais respeitada. As próprias empresas e marcas brasileiras fazem o que podem, é um processo que acredito que vá melhorar muito. Conto com a Conquista Montanhismo, Snake e a Loja Adrena esporte e Aventura.

Sente algum clima de machismo no esporte?
Nenhum clima de machismo, aliás, eu sempre tive meus amigos homens, mulekes, tipo, vamos brincar pois a vida é dura, então não deixe a criança interior adormecer. Procuro estar com amigos pois eles sempre estão na vibe!

E o calendário? não poderia deixar de falar, né?
Conta como surgiu, o processo de produção… Como tá a aceitação?

O calendário nasceu da vontade que eu tinha em ter o calendário de escalada feminina que existe nos Estados Unidos, no tempo que não consegui compar o meu. Pensei, vamos produzir um nacional, devido ao tanto de garotas fofas dependuradas em paisagens lindas!
 O processo foi, aff, tive a idéia em outubro de 2009, foi o tempo de conseguir alguns apoios e produzir às pressas, pois ainda tinha que imprimir, vender e destribuir pelo Brasil. Mas graças a Deus-A tudo  deu tudo certo, apenas um erro na graduação da via da Janine Cardoso, mas realmente a pressa é inimiga da perfeição. 
Eu, modéstia à parte adorei, a Gisely Ferraz levou cinco para os U.S.A e vendeu 5 em uma semana eu acho, aqui no Brasil ele foi bastante vendido no Rio de Janeiro e em Minas; Espírito Santo, São Paulo; e foram também bastante pedidos pelo blog.


Fotos: André Braga

 

E o resultado final, era o que vc tava esperando?
Na verdade não esperava o resultado, me empenhei em fazer o melhor possível num tempo muito curto, tive medo de não conseguir, mas não me deixaram desistir.

Ano que vem vai sair tb?
Esse ano estamos preparando o 2011 com tempo, bem elaborado e acoplado às sugestões dos clientes.

Além do calendário, quais são seus projetos daqui pra frente?

Meus projetos são os mesmos e sempre em relação com a natureza, pretendo com mais um grupo de pessoas aqui de Lagoa Santa criar uma ONG relacionada a preservação ambiental e cutural-social; pois vejo que precisamos ontem começar a tarefa de tentar mudar o mundo. Com ações simples e gentis, bom para o planeta e para nós mesmos. Agir localmente, pensar globalmente. Recitar o mantra dos três Rs, Reduzir, Reciclar, Reutilizar. É isso, que a montanha possa sempre estar nos corações das pessoas…

 

Entrevista concedida ao Site Mulheres na Montanha

Feita por  Rosane Camargo

Posted in:

5 Comentários

  1. Belíssima iniciativa. Sempre me pergunto por que no Brasil não se produzem calendários para serem vendidos, se temos tantas belas paisagens e temas para ilustrá-los.
    Por outro lado, acho que todos os pais deveriam, logo cedo, encaminhar seus filhos para a prática de esportes, a fim de desenvolver neles auto-confiança, auto-estima, disciplina, respeito.
    Vou encaminhar esta entrevista aos meus primos Silze e Horácio, que moram em Lagoa Santa.

  2. Legal, Fernanda! Continue na luta daí q tocamos daqui, e cada um do seu ponto, buscando o desenvolvimento “glocal”.
    Temos q trocar figurinha pois estamos criando também uma ONG socio-ambiental com escalada envolvida.

    Bons ventos!

  3. Ainda não tinha visto uma iniciativa tão bela do montanhismo no Brasil.Plantar rosas na rocha, trazer a força, a determinação, a ousadia das mulheres pode mudar todo o cenário hoje. Unidos seremos fortes como a rocha, superaremos os obstáculos e chegaremos a maiores altitudes. A todos muita força nesta luta.

  4. Conheço a Fernanda ha muitos anos, e ela sempre foi essa guerreira. Uma pessoa voltada pro meio ambiente e com uma consciência ecológica incrível. Parabéns garota estou sempre na torcida por vc.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *