Kika Bradford


Yosemite – Foto: Arquivo pessoal

 

Kika inspira montanha, coragem, amizade, parceria e muita alegria.
Profissional competente, amiga para o que der e vier e grande parceira de escalada.
Kika é tudo o que se pode pensar de uma grande pessoa e de uma grande escaladora!

 

Nasceu no rio?
Sim :))), sou carioca da gema!

Está com quantos anos?
33

Está escalando há quanto tempo?
Desde 1998

Como começou?
Shiii… Eu ia para o Paiol, um acampamento / colônia de férias em São Bento do Sapucaí, SP. O Baú é seu grande símbolo. Subi muitas vezes pelas vias ferratas e sempre quis escalá-lo. Fiz um curso básico com a Katinha (que orgulho da minha professora!), mas não comecei imediatamente porque não conhecia ninguém. Depois de uns 2 ou 3 anos, comecei a escalar junto com o Pedro e Christian (todos começamos juntos) e me “viciei” imediatamente. Foi um ano de muitas descobertas, boas parcerias e aprendizado.

Você morou nos Estados Unidos…Quanto tempo ficou lá?
3 anos…

Escalou nos EUA? Fez o que?
Até dizer chega!!! Acho que meu mestrado foi em escalada e não antropologia, apesar do diploma dizer o contrário :). Viajava direto e meu último ano foi voltado exclusivamente para a montanha. Morei em Jackson  nesse último ano, um lugar com montanhas maravilhosas. Aprendi muito sobre escalada alpina e aprendi a esquiar (já esqueci muito desse último).  Fora ali, escalei em muitos lugares: Seneca Rocks e New River Gorge, em WV, the Gunks, NY, Red Rocks, NV, Moab e Zion, UT, City of Rocks, ID, Smith Rocks, OR, Rocky Mountains Ntl Park e Boulder, CO, Yosemite e Needles, CA, entre vários outros. Escolhia os lugares que tinham vias em móvel e de aventura, mas escalei em diversos outros também.

Atualmente está morando em vários lugares…Rio, Estados Unidos, Chalten…E quando está nos EUA, viaja para outros lugares…Como é essa vida nômade?

Shi… não gosto mais não. Tem boas vantagens, mas no momento estou pronta para parar, mas não sei ao certo quando irei poder realmente parar, ainda mais com o Juan na minha vida. A ver…

 


Via Calamar/Pepino – Foto: Felipe Dallorto e Salathe Wall/ Yosemite – Foto: Joe

 

Apesar disso, ainda encontra tempo para o Programa Acesso às Montanhas…Fale um pouco deste projeto?
O AM é um programa da FEMERJ que visa garantir os acessos e preservar as áreas de escalada do Rio. Trabalho como voluntária no montanhismo faz um tempo, mas é esse programa que me dá alegria e motivação para continuar, ainda mais com as vitórias que temos conseguido esse ano, com a grande ajuda do André Ilha.  Na verdade, muitas viagens atualmente tem a ver com esse programa, pois além de tocar o AM, sou a diretora do Access PanAm, que é o Acesso para a América Latina e tenho aprendido muito com isso.

E seu trabalho na Nols, como é? O que te motivou a entrar na Nols?
Humm… Gosto bastante do trabalho. Acho que é uma oportunidade incrível de influenciar pessoas jovens a se conhecerem melhor, de ajudá-los a encararem o meio ambiente de forma a preservá-lo e trabalhar a liderança em cada um. É por isso que trabalho para a NOLS. A coisa que não gosto é estar 20, 30 dias em campo de cada vez, prefiro cursos / contratos mais curtos.

AGUIPERJ…Conta também um pouco da sua experiência como guia profissional, inclusive na presidência da AGUIPERJ, aonde fez um ótimo trabalho.
Uiiii. Bom, foram 7 anos como guia profissional em escalada. Está bom, né? Foi uma ótima experiência que não preciso dar continuidade :), foi bom enquanto durou e está ótimo agora sem. rs. Novamente, aprendi muito como guia; acho que cresci como escaladora. Mas chegou um ponto que eu não escalava muito “para mim”, era trabalho o tempo todo. Tirava uma ou outra semana para conquistas, mas não muito mais que isso. Agora, estou em outra época da minha vida, onde escalo mais e trabalho menos, eita vida boa! A AGUIPERJ foi muito importante para mim, acho que foi o início de meu trabalho voluntário pelo montanhismo. Tentei ajudar a associação a crescer e ainda tento ajudá-los, mas de forma bem mais sutil e fora da diretoria. Nada contra a diretoria, pelo contrário, o Felipe Edney (atual presidente) é sensacional, como pessoa, profissional em escalada e Presidente!

Pois é…Não poderia deixar de pedir para falar da sua experiência em big wall, como na Crazy Muzungus… As tentativas e enfim sucesso ao completarem a via e depois a Salathe Wall…
A Crazy foi um grande aprendizado, de escalada, de montanha, de quem eu sou, de amizade, de parceria… Foram várias tentativas, várias frustrações, muito aprendizado. Mas ficamos por aí nesse caso, ssshhhh.
A Salathe foi incrível. 5 dias na parede, no El Cap! Era pedra que não acabava mais. E dias longos, alguns dias escalamos durante 15, 16 horas. Com o vale de Yosemite a nos abençoar. Big Wall é incrível, um jeito de testar nossos limites, motivação, de se auto-conhecer, de aprender muito sobre montanha, vida e aventura.

Você faz qualquer estilo em qualquer tipo de rocha…Tem algum que te atraia mais?
hahahahah, faço não!!! Pergunta pro Berna, ele está sempre tentando me levar para falésias! Raramente faço boulder e escalada esportiva. Gostaria de ter mais disciplina para essas modalidades para poder aperfeiçoar e aprimorar minha técnica de montanha / parede.
Gosto de pensar que sou escaladora de “aventura”, amo de paixão vias longas e complexas, adoro escalar à vista e guiar. Adoro uma aventura completa: longas aproximações, vias longas, proteção em móvel, complexidade em achar a base e as linhas, complexidade de clima, conquistas, escalada alpina, parceria… Acho que a incerteza faz parte da minha atração pela escalada e estilo que gosto.

Quantas vias conquistadas?
Shiii, sei não. Acho que umas 20 ou por aí.

E o speed climbing, fale um pouco dessa “malhação”?
Speed climbing? Eu?? Isso é pro Berna e os doidos de Yosemite, eu só gosto de escalar… A questão é que alguns lugares onde eu gosto de escalar (leia-se Chalten) exigem uma eficiência muito maior do que a maioria.

Projetos pra este ano?
Voltar a Chalten e quem sabe realizar os objetivos do ano passado… está preparando a macumba para bom clima?

Quer deixar um recado?
kmon prá montanha! Com responsabilidade!!!!

 

Entrevista concedida ao Site Mulheres na Montanha

Feita por  Rosane Camargo

 


Via Sons of Yesterday / Yosemite – Foto: Arquivo pessoal

Posted in:

12 Comments

  1. Inspira montanha mesmo essa mulher! E escala muito! Sou fã! E ainda vou ganhar um autógrafo! hahaha! Adorei a entrevista!

  2. Kika
    amei voce ter voltado e ainda mais nem bem voltou e já está aqui no site !!! Desejo a voce muito sucesso sempre, muitas realizações nos seus projetos, suas escaladas e tudo de muito feliz sempre !!
    Beijao
    Adri

  3. ADOREI a entrevista …. olhando pra Kika com aquele rostinho de menina, nem dá pra imaginar tudo q essa escaladora fez e faz …. sou fã de carteirinha :-)))

  4. Alpinista,

    Fiquei emocionado com a reportagem no Globo de hoje. Vc é uma verdadeira atleta.
    Imagino a dor de deixar um amigo lá
    na montanha, mas a esperança de resgate
    valia o risco. Tenho uma filha que sempre
    me pedia para fazer pequenas subidas,
    na época que moramos em Petrópolis e
    fico imaginando de toda a alegria da
    escalada e a conquista, mas a torcida dos
    pais na volta do filho tbém é algo muito forte.

    Abraços e parabéns pela coragem e companheirismo que é a marca das grandes
    pessoas.

    Forte abraço.

    Claudino V. Previati

  5. Muitoooo fã!!! E que energia é essa… sempre escalo melhor com ela… só com as poucas escaladas já absorvi bastante. Quero maisss! E só posso retribuir te levando pras falésias e bolders KMOOON

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *