Francine Gomes


Sinos de Aldebaran – Serra do Cipó/MG – Foto: arquivo pessoal

 

Existem mulheres que fazem a gente ficar de queixo caído de tanta admiração…Esta Paranaense me deixa assim…Creio que não estou sózinha 🙂 Conheçam mais uma mulher fantástica!!

Francine, está com quantos anos?
31 anos

Nasceu em qual estado?
Paraná

Profissão?
Geóloga

Quanto tempo de escalada?
17 anos e meio

O que te levou para este esporte?
Meu irmão, hehe… na realidade ele conheceu o Jeferson, que escalava e tinha pai escalador das antigas que o falou sobre curso de escalada e ele gostou da idéia e me chamou para fazer o curso junto. Ele tinha 12 e eu 14 anos.

Participa de campeonatos? Possui algum patrocínio?
Hoje não participo mais de campeonatos, já participei. Tenho apoio da Conquista e da Stone.

Você é conhecida como escaladora de vias esportivas…Aliás, conhecida como escaladora forte…Já fez alguma via tradicional?
Já fiz umas poucas vias tradicionais, fiz uma via no pão de açúcar (acho que é a Cavalo Louco), há muitos anos, fiz a V de Vingança no Bauzinho (SP), umas 3 vias na Ana Chata e escalei umas 3 vezes no Marumbi.

Faz algum tipo de treinamento? E a alimentação?
Já fiz treinamento algumas vezes durante estes anos que escalo, mas ultimamente só escalo. Sempre que posso escalo no muro durante a semana e na rocha fins de semana. Gosto de me alimentar de maneira mais saudável independente da escalada. Como bastante fruta, verduras e no geral prefiro os alimentos integrais… Mas adoro chocolate!

 


Heróis da Resistência – Serra do Cipó/MG – Foto: Muirilo Vargas
Rolling Stones – Anhangava/Paraná – Foto: arquivo pessoal

 

Pratica outro esporte além da escalada?
Às vezes ando de bike e quando dá pratico yoga em casa.

O que a escalada significa para você?
Momento de recarregar as energias, encontrar os amigos e fazer novos. De fazer algo que me deixa feliz!

Quais as cadenas marcantes?
Todas são… cada escalada é especial, por ser uma via nova ou uma via conhecida que adoro, por cada vez ser diferente, estar com pessoas diferentes, em dias de sol, nublados ou com chuva, que mesmo assim rola escalada e quem sabe cadena… Encadenar uma via é só uma conseqüência agradável de estar escalando! É um momento em que tudo flui perfeitamente… Mesmo os dias que não rola cadena, são marcantes, pois poder escalar é bom demais!

Escalou por onde por este país? E lá fora?
Comecei a escalar no Paraná, já escalei também em Minas Gerais, Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. Escalei na Argentina, Chile e Espanha.

Se inspira em alguém?
Acho difícil essa pergunta, tem gente que responderia Chris Sharma… Sei lá, esses escaladores fortes que estão sempre nos vídeos… Eu acho que a inspiração vem de dentro e tem pessoas que passam pela nossa vida que nos incentivam e nos inspiram também… Mas se fosse hoje para falar de alguém diria Roberta Nunes, que sempre me falava para largar tudo e viver de escalada!!!! Saudades dela!

Gostaria de deixar um recado para a mulherada?
Passei uma temporada agora no Rio e escalei com a Joana, Mariana, Raquel, Roberta e o recado que deixo é que devemos sempre manter essa motivação feminina na escalada… Betas femininos funcionam para caramba e as risadas que damos juntas vale mais que qualquer cadena… Bora escalar!

 

Entrevista concedida ao Site Mulheres na Montanha

Feita por  Rosane Camargo

 


Ética Decomposta – Serra do Cipó/MG – Foto: arquivo pessoal

Posted in:

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *